Bebé de um ano com covid-19 foi internado nos cuidados intensivos do São João por uma miocardite. É caso raro e está estável – Expresso

A criança de 13 meses internada na unidade de cuidados intensivos pediátricos do Centro Hospitalar Universitário São João ligada à ECMO está estável e isso é “um excelente sinal”, numa altura em que pouco se poderá para já dizer sobre a sua recuperação.

O bebé do sexo masculino com covid-19 foi internado na tarde desta sexta-feira no Centro Materno Infantil do Norte e, agravada a situação, precisou de ser transferido para o Hospital de São João, também no Porto, na madrugada de sábado.

Chegou com uma miocardite como quadro clínico, uma inflamação do músculo do coração. “Clinicamente [estava] muito doente, com arritmias cardíacas muito difíceis de controlar”, disse, em conferência de imprensa na tarde deste sábado, a diretora clínica do mesmo hospital, Maria João Baptista.

Perante a gravidade, a criança, aparentemente saudável, necessitou de ser colocada com suporte de ECMO, a máquina de oxigenação por membrana extracorporal capaz de suportar a respiração e a circulação sanguínea dos doentes que não estão capazes de o fazer sozinhos.

Nos próximos dias a equipa médica avaliará a situação clínica. Tudo indica que a miocardite poderá ter sido desenvolvida depois de contraído o vírus SARS-CoV-2, associado a esta inflamação num número muito reduzido de casos.

“Esta parece ser a causa mais provável, mas há outras miocardites provocadas por outros vírus e a equipa está a procurar outros vírus que não foram, até ao momento identificados. O bebé era saudável previamente, tanto quanto se conhece, mas teremos de fazer uma data de estudos para se perceber se teria uma doença não conhecida que, no contexto de infeção por SARS-CoV-2, possa ter desencadeado todo este processo”, garantiu Maria João Baptista.

Miocardite mais rara em crianças vacinadas

A miocardite é uma inflamação do músculo do coração provocada por células das defesas do organismo que o “invadem”. No caso de ser desencadeada por uma infeção vírica, como a covid-19, tal pode acontecer ou porque o vírus também invade as células do coração ou porque o sistema imunitário assume que sim, tentando defendê-lo.

Quando se verifica este “ataque” a um músculo cuja função é contrair, no sentido de bombear sangue para o resto do organismo, a inflamação pode ser tal que essa função fica comprometida.

Mas estes casos são raros. Numa altura em que Portugal vacina em massa crianças em idade pediátrica e se questiona as eventuais consequências da vacinação, um parecer do Programa Nacional para as Doenças Cérebro-Cardiovasculares divulgado no final de janeiro defendeu que a vacinação contra a covid-19 “é segura e eficaz em idade pediátrica”.

O mesmo documento, apoiado em estudos internacionais, indicava que a miocardite é 60 vezes mais frequente em crianças infetadas com covid-19 (60 em 100 mil) do que em crianças vacinadas (uma em 100 mil). Para além de mais prováveis, os casos de miocardite em crianças não vacinadas são também mais graves.

We wish to say thanks to the writer of this article for this incredible content

Bebé de um ano com covid-19 foi internado nos cuidados intensivos do São João por uma miocardite. É caso raro e está estável – Expresso

Debatepost